top of page
  • Foto do escritorglowpopbr

José González faz show poético e emotivo no Rio de Janeiro.

Apresentação aconteceu na última quinta-feira (21), no Circo Voador.


Foto: Fabricio Sousa / @fabriciosousa.jpg


Quase um ano após sua última passagem pelo Brasil e 4 anos sem pisar ao rio de janeiro, o cantor e compositor sueco José González retornou ao circo voador pela 3ª vez para um show super intimista com direito a muita emoção e muita poesia, as últimas passagens por aqui foram em 2016 e 2019, ambas no circo voador.


Na última ocasião, priorizou o repertório de "Vestiges & Claws" sem deixar de fora os sucessos dos demais trabalhos, o queridinho do público indie folk se apresentou pela primeira vez no formato voz e violão. Agora, ele que gostou tanto do formato repetiu a dose, já que das vezes anteriores se apresentou junto de banda. No set do show, tiveram canções de seus quatro álbuns “Veneer”, "In our nature","Vestiges & claws" e seu último álbum de 2021 no qual essa turnê faz parte, o aclamado “Local Valley”.

Foto: Fabricio Sousa / @fabriciosousa.jpg


No entanto, antes do cantor subir ao palco, a abertura da apresentação ficou por conta de Chico Bernardes, apresentando canções de seu único disco “Chico Bernardes”, o irmão de Tim Bernardes, que apesar de pouco público que estava presente no início do show, foi chegando e se ajeitando na frente do palco ao longo da apresentação e puderam conferir um pouco de seu folk pessoal combinou perfeito com estilo e melodias de José Gonzales, assim o garoto apresentou canções como “Distante”, “Um astronauta e “Me encontrar”. Com isso, pra quem conhecia o garoto de 24 anos, teve certeza que sentiu a vibe de um grande show e pra quem não conhecia, aposto que vai procurar saber mais.

Por conseguinte, era a vez de José Gonzales subir ao palco e mostrar ao público carioca que esperou tanto pela sua volta, que estaria prestes a fazer um grande show. Iniciando a apresentação com a bela “With the ink of a ghost”, faixa que abre seu disco de 2015 (Vestiges & claws), logo em seguida voltar aos acordes hipnotizantes de “Stay in the shade”, de seu primeiro trabalho.


Logo após as duas primeiras canções, o cantor já pode demonstrar seu grande domínio e intimidade com o instrumento de 6 cordas, apresentando canções do atual disco como “Valle Local” e “Head On” durante no início, mas foi mesmo em “Lovestain” que o galera soltou a voz e cantou em coro com o artista.


Foto: Fabricio Sousa / @fabriciosousa.jpg



Além do mais, além de canções de própria autoria, o cantor também deu espaço em seu show para alguns covers conhecidos pela galera, entre eles “Blackbird” dos The Beatles e “Teardrop” do Massive Attack, ambas músicas que fazem parte do repertório do artista há bastante tempo.


Foto: Fabricio Sousa / @fabriciosousa.jpg


Por fim, logo após o cover de Massive Attack, veio o bis e posteriormente as canções de maiores sucessos da sua carreira que pode deixar toda a plateia emocionada e com vontade de nem voltar pra casa, que se pudesse deixava o cantor ali por horas se apresentando e assim se encerrou a apresentação com “Crosses”,“Heartbeats” e “Killing For love”. E assim encerrou-se sua quinta passagem pelo Brasil, levando muita música e muito amor para um público apaixonado por Folk e indie, e com a certeza de que cada vez que ele vem, só aumenta sua base de fãs fiéis por aqui e mostrando que talvez sua 6ª passagem por pelas terras tupiniquins, não demore tanto.





Comments


bottom of page